Elaine Cruz

Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, professora universitária e possui vários trabalhos publicados e apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Atua como terapeuta há mais de trinta anos e é conferencista internacional. É mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA) e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Como escritora recebeu o 'Prêmio ABEC de Melhor Autora Nacional' e é autora dos livros “Sócios, Amigos e Amados”, “Amor e Disciplina para criar filhos felizes” e o mais recente, "Equilíbrio Emocional", todos títulos da CPAD.

A opção de amadurecer

Quando pensamos sobre o desenvolvimento humano, percebemos que Deus trabalha com uma preciosidade de detalhes que nos emociona. 

Na ocasião da fecundação, a junção do óvulo com o espermatozoide gera uma única celular, o zigoto, partir da qual todas as outras células e sistemas corporais serão formadas. No momento da transição do meio uterino para o meio em que vivemos, em que a criança se desprende do cordão umbilical e passa a buscar seu ar, válvulas são acionadas, e há um equilíbrio belíssimo e constante nesse movimento de respiração, que só cessará no momento em que a alma deixar o corpo. 

Ao longo da nossa vida, vamos crescendo e adquirindo competências, desenvolvendo a parte orgânica e funcional, mas também ampliando os limites da cognição, da compreensão e dos arroubos emocionais. Nossas vivências transformam nossos valores e prioridades de vida, e nossas atitudes nos fazer pensar, elaborar e definir estratégias para a vida social, sentimental e espiritual.

Quando passamos da meia idade, percebemos como a forma de Deus organizar a vida físico-social é sempre perfeita. Quando somos jovens temos facilidade para assimilar conceitos e aprender novas línguas. Na juventude os hormônios nos ajudam a encarar desafios de carreiras, e nos trinta anos que se seguem à juventude ainda temos ânimo para acordar cedo, enfrentar transito caótico e investir na carreira, enquanto ganhamos dinheiro e educamos nossos filhos. Depois disso, por volta dos cinquenta e sessenta anos, sabemos que a disposição para a maternidade é outra – no máximo temos motivação para amar e brincar com os netos, que serão cuidados mais trabalhosamente por nossos filhos no cotidiano.

Algumas coisas não mudam, independente do nosso querer e da cultura em que estamos inseridos. Podemos parecer mais novos, mas sabemos da nossa real idade, que aumenta anualmente. E ainda acreditamos que o avançar da idade traga maturidade – o que não acontece para todos. Afinal, envelhecer é natural, mas amadurecer é opcional.

A velhice chega para todos os que tiverem o privilégio de usufruir de mais anos de vida. A fase idosa não precisa incomodar, mas vai se instaurando sem pedir licença. Rugas e cabelos brancos evidenciam o passar da idade, e o confronto com o espelho é inevitável.

Infelizmente, o mesmo não acontece com a maturidade emocional. Muitas pessoas, mesmo sendo confrontadas com suas escolhas, e vivenciarem no presente as consequências nefastas das escolhas do passado, ainda assim escolhem não amadurecer: se mantêm frias, distantes, fechadas em si mesmas, ingênuas para selecionar amigos, levianas para escolher relacionamentos, inconsequentes com dinheiro ou poder. Os anos passam, e elas teimam em manter seus erros, a intransigência da juventude, as manhas oriundas de uma má educação.

A riqueza da bela experiência de viver, é poder alterar quem somos, como respondemos, o que pensamos e realizamos. Devemos manter em nós a boa educação, as boas escolhas e o bom caráter. Precisamos manter por perto os bons amigos, a carreira, as lembranças que nos enriqueceram. Mas também podemos escolher melhor, resolver mais sabiamente, agir de modo mais racional, demonstrar mais os afetos positivos, manter mais o auto controle.

Se o amadurecimento emocional não vem naturalmente, vamos buscá-lo cotidianamente: Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. (Tiago 1.2-5).

elaine

 Elaine Cruz 

*A CPAD não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos publicados nesta seção, por serem de inteira responsabilidade de sua(s) autora(s).

Novembro Azul

Escrito por Elaine Cruz
Novembro Azul

No mês de Outubro conversamos sobre a campanha Outubro Rosa, para conscientizar as mulhere...

A arte de conviver com pessoas

Escrito por Elaine Cruz
A arte de conviver com pessoas

Conviver é o mesmo que coexistir, possuir convivência, partilhando afetos, fatos e vivênci...

O crescimento da Nomofobia

Escrito por Elaine Cruz
O crescimento da Nomofobia

O medo é uma emoção inata e natural ao ser humano, entendida como um instinto primário par...

A opção de amadurecer

Escrito por Elaine Cruz
A opção de amadurecer

Quando pensamos sobre o desenvolvimento humano, percebemos que Deus trabalha com uma preci...

A Primavera

Escrito por Elaine Cruz
A Primavera

Eu e meu marido caminhamos todos os dias. Na verdade ele é super disciplinado e corre diar...

Pequenas Esperanças

Escrito por CPAD Web
Pequenas Esperanças

Aprendi a história da arca de Noé ainda na minha primeira infância. Desde pequena imagino...

Lembranças da infância

Escrito por Elaine Cruz
Lembranças da infância

O dia das crianças, comemorado no dia 12 de Outubro, sempre foi controverso pra mim. Como...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2020 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.