Elaine Cruz

Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, professora universitária e possui vários trabalhos publicados e apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Atua como terapeuta há mais de trinta anos e é conferencista internacional. É mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA) e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Como escritora recebeu o 'Prêmio ABEC de Melhor Autora Nacional' e é autora dos livros “Sócios, Amigos e Amados”, “Amor e Disciplina para criar filhos felizes” e o mais recente, "Equilíbrio Emocional", todos títulos da CPAD.

A popularização do Halloween

Todos temos percebido como vem aumentando a popularidade do dia das bruxas. Conhecido mundialmente como um feriado celebrado principalmente nos Estados Unidos, onde é chamado de Halloween, este evento começou a ser introduzido em cursos de inglês e colégios bilíngues, mas está sendo incorporado a outros colégios, além de ser celebrado por meio de grupos de adultos.

A palavra "Hallow" é um termo antigo para "santo", e "eve" é o mesmo que "véspera". O termo designava, até o século 16, a noite anterior ao Dia de Todos os Santos, celebrado em 1º de novembro. Assim sendo, no dia 31 de outubro de cada ano, os celtas comemoravam o fim do verão e o início de um novo ciclo anual, e para eles, este dia era cheio de superstições, incluindo a crença de que os mortos ficavam vagando em busca de corpos humanos para incorporar.

Contudo com o passar dos anos, esta festa pagã passou a focar no culto aos mortos, envolvendo rituais macabros para celebrar o mundo dos mortos.

No Brasil, como em todo o mundo, este dia entrou no calendário de festas, e será celebrado no dia 31 de outubro. Neste dia as pessoas vão de porta em porta atrás de doces, e enfeitam as casas com adereços que celebram a morte, como caveiras e caixões. Contudo, assim como nos Estados Unidos e na Europa, vem aumentando a frequência de festas a fantasia em escolas, empresas e clubes.

O que mais me assusta, entretanto, é o fato de que algumas igrejas “evangélicas" têm se rendido a esta festa, fazendo eventos em torno do Halloween para crianças e jovens. Enfeitam as salas e salões com temas de morte, e as pessoas se fantasiam para o evento, colocando roupas de esqueleto, e usando camisetas com figuras que fazem alusão à morte e outras referências macabras. Algumas igrejas estão fazendo isto no Brasil, mais uma vez copiando igrejas norte americanas e europeias – que no ano passado usaram inclusive o culto de domingo para celebrar o Halloween!

É triste perceber o quanto nossos filhos e netos estão sujeitos a um evangelho cada vez mais confuso, em que o profano se mescla com o que é santo. Afinal, o Halloween é uma versão comercializada e infantilizada da bruxaria, que já está presente em muitos lares através de bonecas de bruxas, desenhos e jogos ditos infantis. E isto não é só uma aparência do mal, mas traz em seu bojo um grande disfarce de uma atuação maligna.

Como pais, precisamos ficar atentos aos discursos e práticas que envolvem nossos filhos e netos. Há muitos eventos, disfarçados de festas culturais, mas que trazem grande opressão espiritual. Não se trata só de balas e doces, mas da construção de valores em torno da vulgarização da morte, onde o mundo espiritual maligno é apresentado de forma lúdica, como se não fosse extremamente perigoso e maléfico.

Não podemos esperar que a igreja evangelize e oriente nossos filhos quanto ao que comprar e consumir. Precisamos acompanhar mais de perto os muitos brinquedos e eventos que eles participam, ressaltando os valores bíblicos, que são muitos claros: "Não permitam que se ache alguém entre vocês que queime em sacrifício o seu filho ou a sua filha; que pratique adivinhação, ou dedique-se à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria ou faça encantamentos; que seja médium ou espírita ou que consulte os mortos. O Senhor têm repugnância por quem pratica essas coisas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, o seu Deus, vai expulsar aquelas nações da presença de vocês." (Deuteronômio 18:10-12).

No Novo Testamento, ainda temos as histórias de Simão e de Elimas no livro de Atos, que nos advertem a respeito da seriedade do evangelho que pregamos, e apontam para o fato de que precisamos manter a fé genuinamente evangélica – e o evangelho fala de vida, de vida plena e eterna, e não de morte!

Jesus será, sempre, o caminho, a verdade e a vida!

elaine

Elaine Cruz 

*A CPAD não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos publicados nesta seção, por serem de inteira responsabilidade de sua(s) autora(s).

A arte de presentear

Escrito por Elaine Cruz
A arte de presentear

Para muitos, o Natal é uma época de presentear as pessoas que amamos. Avós presenteiam seu...

A dádiva da Gratidão

Escrito por Elaine Cruz
A dádiva da Gratidão

A gratidão é uma das principais virtudes humanas. Ela deve ser aprendida ainda na mais ten...

Amando à distância

Escrito por Elaine Cruz
Amando à distância

Amar é uma decisão pessoal de nutrir afeto por alguém. Podemos decidir amar alguém de quem...

O sossego da ignorância!?

Escrito por Elaine Cruz
O sossego da ignorância!?

É impressionante a quantidade de pessoas que prefere não saber das coisas. Sabemos qu...

Janelas!

Escrito por Elaine Cruz
Janelas!

Tenho boas recordações da minha infância. Eu ia à igreja todos os dias da semana, pois meu...

A popularização do Halloween

Escrito por Elaine Cruz
A popularização do Halloween

Todos temos percebido como vem aumentando a popularidade do dia das bruxas. Conhecido mund...

A dádiva do Contentamento

Escrito por Elaine Cruz
A dádiva do Contentamento

Ao longo da nossa vida, facilmente vamos percebendo que não podemos ter tudo. Pais que são...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2021 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.