Elaine Cruz

Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, professora universitária e possui vários trabalhos publicados e apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Atua como terapeuta há mais de trinta anos e é conferencista internacional. É mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA) e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Como escritora recebeu o 'Prêmio ABEC de Melhor Autora Nacional' e é autora dos livros “Sócios, Amigos e Amados”, “Amor e Disciplina para criar filhos felizes” e o mais recente, "Equilíbrio Emocional", todos títulos da CPAD.

O segredo

Desde cedo, ainda na infância, somos apresentados aos contos infantis - estórias que começam bonitas, mas que sofrem uma ou várias reviravoltas, até o desfecho final onde os protagonistas vencem seus opositores (madrastas, desastres, dragões, vilões) e vivem felizes para sempre.

Desenhos infantis seguem o mesmo roteiro, muitas vezes com um  pouco mais de mordacidade ou comédia, e só são mais ágeis e caricatos.Desde cedo, ainda na infância, somos apresentados aos contos infantis - estórias que começam bonitas, mas que sofrem uma ou várias reviravoltas, até o desfecho final onde os protagonistas vencem seus opositores (madrastas, desastres, dragões, vilões) e vivem felizes para sempre. Desenhos infantis seguem o mesmo roteiro, muitas vezes com um  pouco mais de mordacidade ou comédia, e só são mais ágeis e caricatos.

A partir da adolescência somos apresentados a literatura e filmes que nos mostram um caminho semelhante, com os chamados heróis apanhando e sofrendo, as mocinhas chorando pelo amor e pelas frustrações até alcançar seu príncipe, com requintes de maldade e vilania sem par. Mas a vida adulta segue com filmes românticos pra nos fazer chorar, e com super heróis que saem dos quadrinhos para as telas que fazem homens maduros e avós se emocionarem - super homem, mulher maravilha, batmam, homem aranha, homem formiga, aquamen,  os associados, liga da justiça, e tantos outros. Todos sofrem, apanham da vida (e de seus opositores), mas terminam bem, prontos para outra aventura.

A Bíblia nos mostra relatos semelhantes de heróis da fé, com a diferença de estas histórias (agora com h), são verídicas, e não ficção ou fábulas,  como muitos hoje querem ensinar (falsos mestres invadindo a Igreja é um fato antigo e perigoso).  Davi vence o gigante Golias; Daniel é envolvido numa trama de seus opositores e colocado na cova de leões; Ester arquiteta estratégias inteligentes para  desmascarar Hamã; Sadraque, Mesaque e Abdenego mantêm sua fé e valentia e encaram uma fornalha ardente; e Jacó protagoniza a mais linda luta da história, quando luta para ser abençoado e termina com seu caráter transformado!

Poderíamos ainda falar do sofrimento de Jó, dos testes a mansidão de Moisés, do romance de Rute e Boaz, dos “efeitos” espetaculares e inimagináveis das pragas do Egito, da saga da reconstrução de Jerusalem e do Templo,  e da linda história de Jesus, que entrelaça tantos outros roteiros, de mulheres e homens simples e poderosos, que até hoje servem de base para nossas pregações.

Sim.  A vida nos mostra que teremos aflições, que o caminho não é largo, que estamos sujeitos a cair, que as pessoas não são o que nos dizem ser, que ingratidão e injustiça fazem parte da nossa caminhada. Todos nós temos incontáveis dias felizes, mas temos muitas histórias tristes, de abandono, decepções, traições, doenças, desamor e lutas. Há pais agressivos, mães ausentes, conjugues adúlteros, chefes opressores, doenças incapacitantes, política suja no governo de países, desemprego, amigos que se corrompem e se tornam inimigos, filhos ingratos, violência e perigo nas ruas.  Sofremos com pessoas pois somos afetados pelos atos delas, sofremos pelas consequências de nossos atos e escolhas erradas, e sofremos ataques do Maligno, que a todo momento nos tenta derrubar da fé, e para o qual devemos estar devidamente armados e protegidos, como nos ensina Paulo no sexto capítulo da sua carta aos efésios.

Diante deste quadro temos sempre três opções. A Primeira é  assumir internamente que a vida é má, procurar e apontar sempre os culpados pelas nossas desgraças, e assumir a posição de coitadinhos e sofredores.  Esta primeira opção nos gera medo, fobia, depressão, insatisfação constante, e pode nos fazer desviar da fé, pois a tendência é acabarmos nos afastando de pessoas, e consequentemente da igreja e dos cultos, e culpando Deus por tudo, duvidando de suas promessas e seu amor leal.

A segunda opção diante das adversidades é simplesmente fingir que elas não precisam ser estudadas e tratadas, seja com ações ou orações, e simplesmente viver de forma inconsequente para esquecê-las. Quem opta por viver assim prefere apagar sua desilusão na bebida, fugir para a amnésia ou a fantasia das drogas, abandonar o casamento e as responsabilidades nos primeiros embates, e seguir a vida achando que tudo é normal, acabando a velhice em vícios e longe de Deus.

A terceira opção é aprender a viver contente em toda e qualquer situação. É isto que Paulo nos ensina em vários trechos na carta aos filipenses: Contudo, mesmo que eu esteja sendo derramado como oferta de bebida sobre o serviço que provém da fé que vocês têm, o sacrifício que oferecem a Deus, estou alegre e me regozijo com todos vocês. Estejam vocês também alegres, e regozijem-se comigo. (Fl 2.17,18); Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus. Todos nós que alcançamos a maturidade devemos ver as coisas dessa forma, e se em algum aspecto vocês pensam de modo diferente, isso também Deus lhes esclarecerá. (Fl 3.13-15);  Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância. Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece. (Fl 4.11-13); Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas. (Fl 4.8).

Paulo nos mostra o segredo: aprender a se adaptar as diversas situações da vida, aprender o segredo de viver contente na fome, doença, necessidade e tragédias (ele recebeu quase duzentos açoites, foi golpeado com varas e apedrejado, foi náufrago três vezes, chegou perto da morte inúmeras vezes, foi encarcerado e viveu decepções e solidão) - mas ele aprendeu: decidiu viver contente, deixar as coisas que se passaram para trás, perdoar os que o feriram, pregar aos que o prenderam, e buscar pensar no que é bom, agradável, amável.

Como Paulo, nós temos nossa memória que não nos deixa esquecer quem somos, o que fizemos e vivenciamos. Nossa mente guarda todos os bons e maus momentos, bem como nossas melhores e piores emoções.  A pergunta é: o que vamos pinçar da memória? Qual sentimento vamos resolver nutrir pelas pessoas?

Decida e aprenda o segredo de viver contente, de ver o lado bom da vida, de perdoar e recomeçar, de escolher seguir em frente, de lutar com todas as forças pelas promessas de Deus, de não deixar que as más lembranças ocupem sua mente. Conte as bençãos e veja quantas são. Sinta a satisfação de ter a Cristo, paz real, gozo na aflição, e ache o segredo: ter Cristo no coração. Afinal, com Cristo no barco tudo vai muito bem, e passa o temporal!

E se estas letras lhe são familiares, cante as canções!

elaineElaine Cruz 

*A CPAD não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos publicados nesta seção, por serem de inteira responsabilidade de sua(s) autora(s).

Lança o teu pão! 

Escrito por Elaine Cruz
Lança o teu pão! 

Estou escrevendo este artigo diretamente da cidade do Porto, em Portugal. Deste país,...

Uma palavra às solteiras

Escrito por Elaine Cruz
Uma palavra às solteiras

Embora vivamos em um mundo dito avançado, alguns países promovem casamento forçado, ainda...

Em uma próxima vez…

Escrito por Elaine Cruz
Em uma próxima vez…

Minha bisavó materna nasceu na cidade de Barra Mansa, no interior do Rio de Janeiro. A des...

Renove-se!

Escrito por Elaine Cruz
Renove-se!

O Salmo 139, que é um dos meus prediletos, afirma no verso 14: Eu te louvo porque me fizes...

Saudades constantes 

Escrito por Elaine Cruz
Saudades constantes 

É muito comum, quando as pessoas perdem uma pessoa que amam, especialmente quando estas fa...

Ser Mulher

Escrito por Elaine Cruz
Ser Mulher

Minha avó materna teve uma infância difícil, trabalhando muito em casa para apoiar os irmã...

Guardando moedas

Escrito por Elaine Cruz
Guardando moedas

Há um ditado popular bem conhecido desde os primórdios da sociedade, que diz: “vou pagar n...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2024 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.