Elaine Cruz

Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, professora universitária e possui vários trabalhos publicados e apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Atua como terapeuta há mais de trinta anos e é conferencista internacional. É mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA) e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Como escritora recebeu o 'Prêmio ABEC de Melhor Autora Nacional' e é autora dos livros “Sócios, Amigos e Amados”, “Amor e Disciplina para criar filhos felizes” e o mais recente, "Equilíbrio Emocional", todos títulos da CPAD.

A opção de amadurecer

Quando pensamos sobre o desenvolvimento humano, percebemos que Deus trabalha com uma preciosidade de detalhes que nos emociona. 

Na ocasião da fecundação, a junção do óvulo com o espermatozoide gera uma única celular, o zigoto, partir da qual todas as outras células e sistemas corporais serão formadas. No momento da transição do meio uterino para o meio em que vivemos, em que a criança se desprende do cordão umbilical e passa a buscar seu ar, válvulas são acionadas, e há um equilíbrio belíssimo e constante nesse movimento de respiração, que só cessará no momento em que a alma deixar o corpo. 

Ao longo da nossa vida, vamos crescendo e adquirindo competências, desenvolvendo a parte orgânica e funcional, mas também ampliando os limites da cognição, da compreensão e dos arroubos emocionais. Nossas vivências transformam nossos valores e prioridades de vida, e nossas atitudes nos fazer pensar, elaborar e definir estratégias para a vida social, sentimental e espiritual.

Quando passamos da meia idade, percebemos como a forma de Deus organizar a vida físico-social é sempre perfeita. Quando somos jovens temos facilidade para assimilar conceitos e aprender novas línguas. Na juventude os hormônios nos ajudam a encarar desafios de carreiras, e nos trinta anos que se seguem à juventude ainda temos ânimo para acordar cedo, enfrentar transito caótico e investir na carreira, enquanto ganhamos dinheiro e educamos nossos filhos. Depois disso, por volta dos cinquenta e sessenta anos, sabemos que a disposição para a maternidade é outra – no máximo temos motivação para amar e brincar com os netos, que serão cuidados mais trabalhosamente por nossos filhos no cotidiano.

Algumas coisas não mudam, independente do nosso querer e da cultura em que estamos inseridos. Podemos parecer mais novos, mas sabemos da nossa real idade, que aumenta anualmente. E ainda acreditamos que o avançar da idade traga maturidade – o que não acontece para todos. Afinal, envelhecer é natural, mas amadurecer é opcional.

A velhice chega para todos os que tiverem o privilégio de usufruir de mais anos de vida. A fase idosa não precisa incomodar, mas vai se instaurando sem pedir licença. Rugas e cabelos brancos evidenciam o passar da idade, e o confronto com o espelho é inevitável.

Infelizmente, o mesmo não acontece com a maturidade emocional. Muitas pessoas, mesmo sendo confrontadas com suas escolhas, e vivenciarem no presente as consequências nefastas das escolhas do passado, ainda assim escolhem não amadurecer: se mantêm frias, distantes, fechadas em si mesmas, ingênuas para selecionar amigos, levianas para escolher relacionamentos, inconsequentes com dinheiro ou poder. Os anos passam, e elas teimam em manter seus erros, a intransigência da juventude, as manhas oriundas de uma má educação.

A riqueza da bela experiência de viver, é poder alterar quem somos, como respondemos, o que pensamos e realizamos. Devemos manter em nós a boa educação, as boas escolhas e o bom caráter. Precisamos manter por perto os bons amigos, a carreira, as lembranças que nos enriqueceram. Mas também podemos escolher melhor, resolver mais sabiamente, agir de modo mais racional, demonstrar mais os afetos positivos, manter mais o auto controle.

Se o amadurecimento emocional não vem naturalmente, vamos buscá-lo cotidianamente: Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. (Tiago 1.2-5).

elaine

 Elaine Cruz 

*A CPAD não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos publicados nesta seção, por serem de inteira responsabilidade de sua(s) autora(s).

Namorar na Igreja

Escrito por Elaine Cruz
Namorar na Igreja

Namoro - Parte 2 A igreja é um espaço determinado por Deus para aprendizagem e comunhão. A...

Namoro com propósito!

Escrito por Elaine Cruz
Namoro com propósito!

Namoro - Parte 1 Na maior parte do tempo em que escrevemos para o público feminino, pensam...

Novo Ano, Novas expectativas

Escrito por Elaine Cruz
Novo Ano, Novas expectativas

No ano de 2020, assim como nos ciclos que se encerram, paramos para considerar a incerteza...

O último dia do ano?!

Escrito por Elaine Cruz
O último dia do ano?!

Muitos dizem que o ano de 2020 não deveria ser contado, ou nem mesmo ter começado. Outros...

Feliz Natal! 

Escrito por Elaine Cruz
Feliz Natal! 

A cada ano que passa, os canais de televisão, tanto os abertos como os pagos, estão invest...

Reuniões de Família

Escrito por Elaine Cruz
Reuniões de Família

Jesus não nasceu no dia 25 de Dezembro, mas esta é a data escolhida para comemorarmos seu...

Decidindo Positivamente

Escrito por Elaine Cruz
Decidindo Positivamente

Estamos prestes a concluir um ano complexo, com foi este ano de 2020, e nos ciclos que se...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2021 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.