Elaine Cruz

Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, professora universitária e possui vários trabalhos publicados e apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Atua como terapeuta há mais de trinta anos e é conferencista internacional. É mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA) e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Como escritora recebeu o 'Prêmio ABEC de Melhor Autora Nacional' e é autora dos livros “Sócios, Amigos e Amados”, “Amor e Disciplina para criar filhos felizes” e o mais recente, "Equilíbrio Emocional", todos títulos da CPAD.

Tratando das dores do coração

A Bíblia afirma que pela dor do coração o espírito se abate (Provérbios 15.13), antecipando o que a medicina e a psicologia hoje prescrevem, especialmente quando lidam com doentes cujas dores da alma oprimem o corpo, gerando doenças psicossomáticas que retardam ainda mais o pleno restabelecimento físico.

A emoção pode provocar dor física, e as dores emocionais e físicas ativam regiões cerebrais semelhantes. Sabemos hoje que não há uma área específica do cérebro que monopoliza a sensação da dor, e que as dores de fundo emocional geralmente atingem a parte superior do tronco, perto do peito e do abdômen – e por isso, no momento de uma aflição ou perda, sentimos sensações de aperto no peito ou de “estômago embrulhado”.

A angústia, a ansiedade, a tristeza, o estresse e a depressão, por exemplo, desencadeiam reações químicas no corpo, que podem causar inflamação e enfraquecimento do sistema imunológico. Sentimentos de medo, pânico e insegurança podem desequilibrar o coração e a respiração, ativando o sistema nervoso simpático como se estivéssemos lidando com uma ameaça (frequência cardíaca e pressão arterial elevadas), criando uma sensação de mal-estar no peito e até mesmo dor.

As dores do coração, sob a ótica emocional, podem ser geradas por mágoas, medos, ansiedades, tristezas, decepções, fobias, abandono, rejeição, bullying, desprezo, autocomiseração, pensamentos autodepreciativos, invejas e iras, dentre tantas outras. E o coração pode doer por conta de atos alheios, ou até mesmos nossos, bem como ser resultado de atitudes pecaminosas.

Por outro lado, a alegria, a autorrealização, bem como sentimentos que envolvem afeto e confiança, podem favorecer a cura de doenças físicas, ampliando nossa saúde. Estar na companhia de pessoas que nos amam promove uma integração fácil e relaxada da respiração e da frequência cardíaca. A fé que crê no impossível, mesmo no meio do caos, nos ajuda a relaxar a musculatura. E a alegria é o melhor remédio para a cura física: A alegria faz bem à saúde; ao passo que estar sempre triste é morrer aos poucos.

A Bíblia sempre declarou: O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos. (Provérbios 14.30); O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos. (Provérbios 17.22).

Quando utilizamos a Bíblia como nosso manual para a cura, independente se física ou emocional, descobrimos a importância da paz e da alegria como remédios para não termos nossos ossos apodrecidos. E ter ossos apodrecidos implica em dores, doenças, falta de saúde e ausência de ânimo para as tarefas cotidianas.

Depois de monitorar nossas emoções, necessitamos, mais uma vez, produzir o Fruto do Espírito: é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. E todas estas virtudes, como sementes, são disponibilizadas a todos nós quando o Espírito Santo vem residir em nós, tratando o corpo, alma e espírito!

O cotidiano atribulado deste mundo em trevas visa trazer dores para o coração, tirando nossa alegria e eliminando a paz de lares e mentes. Contudo, não permita que as dores do coração abatam seu espírito, apodrecendo seus ossos, retendo suas alegrias e minando a sua fé.

Lave seu coração e derrame-o diante de Deus. Ele tem bálsamo para corações feridos e ossos apodrecidos!

elaine

Elaine Cruz 

*A CPAD não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos publicados nesta seção, por serem de inteira responsabilidade de sua(s) autora(s).

Falem bem ou mal, mas falem de mim!...

Escrito por Elaine Cruz
Falem bem ou mal, mas falem de mim!?

A Bíblia traz uma série de provérbios interessantes para diversas áreas da nossa vida, com...

Tratando das dores do coração

Escrito por Elaine Cruz
Tratando das dores do coração

A Bíblia afirma que pela dor do coração o espírito se abate (Provérbios 15.13), antecipand...

Erros pseudo-Feministas

Escrito por Elaine Cruz
Erros pseudo-Feministas

Ninguém fez tanto pela mulher, em toda a história humana, do que Deus. Deus formou a mulhe...

Que futuro espera nossos filhos e n...

Escrito por Elaine Cruz
Que futuro espera nossos filhos e netos?

A guerra na Ucrânia segue com muitas baixas, e grande repercussão, especialmente nas grand...

Refutando a cultura suicida 

Escrito por Elaine Cruz
Refutando a cultura suicida 

Desde a pandemia, a sociedade tem assistido, alarmada, a um aumento considerável de suicíd...

 Ressurgir

Escrito por Elaine Cruz
 Ressurgir  

É impressionante a facilidade como o mundo desvirtua o significado dos eventos bíblicos. N...

Transtorno Explosivo Intermitente

Escrito por Elaine Cruz
Transtorno Explosivo Intermitente

Temos assistido o aumento do estresse, desencadeado pelas pressões da vida, em diversas ár...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2022 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.