Valquíria Salinas

Valquíria Salinas é cristã evangélica, com vasta formação na Psicologia e áreas correlatas. Faz um sólido trabalho de aconselhamento e apoio ao lado de seu marido e pastor. Traz para o público evangélico, de forma clara e simples, temas e abordagens do aspecto psicológico do ser humano e sua relação espiritual com Deus, tudo de forma clara, simples e direta. Seja para adolescentes e jovens, para mulheres, casais ou família, no templo, no acampamento ou em empresas, a Psicóloga Valquíria Salinas fala sem achismos. Tem experiência de 16 anos de atendimento diário em seu consultório de psicologia, atuou em 2 Hospitais Psiquiátricos e foi voluntária no SOS - para recuperação de drogados e alcoólatras – durante 5 anos. Está à frente do Culto Regional de Mulheres, que reúne cerca de 3 mil mulheres mensalmente, na Assembleia de Deus na cidade de Sorocaba-SP.

 

Transtorno de Pânico

Estudo de Caso

Carol vai ao pronto socorro desesperada e acredita que está enfartando. Dores no peito e sensação de morte. Ao ser diagnosticada o médico lhe diz que, na verdade, ela está muito nervosa, com sintomas de angústia. Carol fica com medo de acontecer o mesmo novamente, e torna-se muito ansiosa, apreensiva, e pelo medo de passar por tudo aquilo Carol evita os locais onde sentiu aqueles horríveis sintomas: faculdade, igreja, shopping, o carro etc. 

O transtorno do Pânico é reconhecido Pela Organização Mundial da Saúde (OMS) constatando da Classificação Internacional das Doenças (CID 10), na classe dos transtornos mentais. Ele faz parte dos transtornos de ansiedade, juntamente com as fobias, o estresse pós traumático, o transtorno obsessivo-compulsivo e o transtorno de ansiedade generalizada. A diferença é que, em uma fobia simples o objeto temido está fora e, no pânico, o medo está no que possa ocorrer com o próprio corpo. Medo de uma doença incurável, medo de um infarto, de enlouquecer etc. Medo. Muito medo.

A ansiedade é uma reação emocional ocasional, que ocorre quando nos sentimos frágeis por um período, mas quando sofremos com a ansiedade de forma exagerada vem a caracterização de um ataque de pânico. Isso traz um grande sofrimento para a pessoa. No pânico a ansiedade é elevada ao extremo em um período muito curto de tempo.

Sintomas

Observe os Sintomas dos ataques de pânico, segundo DSM-IV da quarta edição. Quatro o mais sintomas destes já caracterizam um possível ataque de pânico:
-Taquicardia ( ritmo cardíaco acelerado);
-Sensação de falta de ar ou sufocamento;
-Dor no peito;
-Medo de morrer;
-Medo de perder o controle e enlouquecer;
-Sensação de formigamento, amortecimento;
-Ondas de calor ou calafrio;
-Tontura, vertigem ou desmaio;
-Sudorese intensa (suor);
- Tremores ou abalos musculares;
-Náuseas (enjoos) ou desconforto abdominal;
-Sensação de irrealidade (estranheza com o ambiente) e despersonalização (estranheza consigo mesma).

Em tempos atrás os ataques de pânico já foram diagnosticados com outro nome: terrores de pânicos. O pânico normalmente aparece de forma abrupta, com pico da crise entre 5 e 10 minutos e duração de meia a 1 hora. O uso excessivo de cafeína (ou nicotina) pode exacerbar os sintomas. A ocorrência de um ataque de pânico não significa que a pessoa possua um diagnóstico de transtorno de pânico. Pode ser um episódio ocasional. As pessoas portadoras do transtorno de pânico acabam desenvolvendo “MEDO DO MEDO”. As mulheres são mais propensas que os homens. Ocorre 2 a 3 vezes mais em mulheres do que em homens. O fator social que mais se identifica para o diagnóstico do transtorno de pânico é a história de divórcio ou separação.

Pensamentos Ruins

Seus pensamentos mais comuns são: 
-Vou morrer.
- Vou ficar louco.
-Vou desmaiar.
- Vou ter um ataque cardíaco.
-Vou ter um derrame.
- Perdi o controle de minha vida.
- Preciso de alguém, pois se eu ficar sozinho posso passar mal e quem vai me socorrer.
- Não posso dirigir, pois vou perder o controle do carro.
- Se eu não dormir posso morrer.
-Vou desmaiar e vão rir de mim.
-Não posso fazer sexo, pois posso enfartar na hora.
-Posso enlouquecer.

Embora cada sujeito tenha a sua história de vida, na sua subjetividade alguns sintomas acabam sendo iguais em muitas pessoas que sofrem de transtorno de pânico, como o medo de enlouquecimento, morte e a perda de controle.O paciente com pânico normalmente acredita que vai morrer, quando se depara com taquicardia ou falta de ar. Na verdade os seus sintomas são normais, em determinadas situações, como nas emoções fortes, atividade física intensa, mas à medida que a pessoa passa a vivenciar os ataques de pânico, ela observa a sua respiração, os seus batimentos cardíacos e as associa à morte, muito embora a anormalidade está na forma que ela interpreta as suas sensações, como algo catastrófico. Quem já sofreu um ataque de pânico, jamais se esquece da sensação de que a morte lhe chegou. As pessoas que sofreram não conseguem associar as suas crises a algo que lhe tenha acontecido, pois analisam os últimos dias ou semanas, quando na verdade deveriam analisar no mínimo os últimos seis meses a dois anos, por isso dificilmente conseguem fazer algum tipo de conexão com seus ataques.Já para os profissionais, Psicólogo ou Psiquiatra, fica mais claro quando fazemos uma anamnese da história do paciente, e verificamos no paciente os fatores que desencadeiam a síndrome, como separação, perdas, acidentes, assaltos, morte de um familiar muito querido etc.

Todos os eventos traumáticos são suportados por um determinado tempo (dependendo de pessoa para pessoa), porém chega um momento em que o “medo” acaba sendo acionado devido aos acontecimentos traumáticos vividos pela pessoa.

Controle x Ansiedade
As pessoas que desenvolvem o transtorno de pânico, normalmente são as que querem resolver tudo, precisam ter o Controle, possuindo um temperamento mais ansioso, podem ter vivido a ansiedade de separação na infância, ter sido criadas por pais ansiosos, a mãe normalmente não se mostrou como figura de segurança para a criança, e ao invés de acalmar a criança se mostrava muito ansiosa e nervosa.

Boas Companhias
Normalmente as pessoas com pânico procuram encontrar uma pessoa que as faça sentir segura. Normalmente são pessoas com alto grau de exigência, tensas e muito preocupadas. Perfil onde são controladoras e muito críticas de si e dos outros, bem como também podem ser inseguras e reprimidas, comum quando não conseguem controlar uma situação e dispara-se a crise de pânico.Os relatos dos pacientes com pânico mostram que, quando estão com uma pessoa de confiança, com um bom contato emocional, as pessoas não sentem pânico. Já aquelas acompanhadas de alguém, mas se sentindo “desconectadas” emocionalmente, e já tem o problema, sentem mais pânico. A pessoa companheira acaba servindo como regulador emocional, é como se fosse aquela mãe que ao perceber que a criança está chorando, vai até ela e a pega no colo e a acalma, com sua fala, seu carinho.

Tipos de Tratamento
Ter a clareza de que os sintomas são desencadeados pela ansiedade e saber a respeito do pânico contribui para que a pessoa possa melhorar. Usamos técnicas de respiração, fazemos a pessoa perceber que os sentidos em seu corpo (respiração etc) são naturais e não catastróficos como ela imagina, e que ela não irá morrer. Em alguns casos a medicação se faz necessária, através de um profissional qualificado para isso, mas sempre associada ao tratamento psicológico, pois só a medicação não ensina como a pessoa tem que passar a se conhecer internamente. Para que ela possa compreender melhor os seus sentimentos somente a medicação poderá mascarar o sofrimento e trazer recaídas ainda piores. A associação do tratamento psicológico somado à medicação têm mostrado excelentes resultados no tratamento. Para que a pessoa possa ficar longe das crises de pânico faz-se necessário aprender a integrar as sensações e os sentimentos de desamparo. A superação da síndrome do pânico traz um grande conhecimento e crescimento pessoal, emocional e espiritual.

É importante relatar que, apesar de tanto medo e sofrimento, é possível superar o pânico e a vida voltar ao normal, sem nenhum prejuízo. O pânico, diferentemente do que parece, ao ser controlado, não deixará sequelas mentais, mesmo após as piores experiências da crise do pânico. A concentração diminuída, a alegria escassa, as capacidades intelectuais diminuídas temporariamente, todas vão embora e a pessoa retorna ao seu melhor estado. Mais fortalecida. Pânico não é loucura (Esquizofrenia). Quando conseguimos relaxar, normalmente não sentimos medo, ou se o estávamos sentindo ele vai embora, assim como a ansiedade e a preocupação normal em relação aos aspectos consideradas normais do dia-a-dia.

Comece a Melhorar Agora
Quando estamos sentindo medo não conseguimos pensar de forma clara acabamos nos paralisando em relação aos bons pensamentos. Se faz necessário relaxar para controlar a relação fisiológica do medo. Procure sentar e relaxar o seu corpo em um ambiente calmo e sem barulhos, perceba-o, cada parte, desde a cabeça, o pescoço, nuca, ombros, peitos, abdômen, pernas, braços e pés.Então feche os seus olhos e inspire e respire suavemente, em exercícios de no mínimo 10 séries cada, lentamente. Por isso use a técnica de respiração como uma das formas de controle da ansiedade. Prenda a respiração e vá soltando lentamente e pense no medo. Fugir de seus pensamentos não é boa coisa, observe eles. Continue respirando de forma lenta, pois se respirar rapidamente irá hiperventilar e você sentirá pânico em vez de ficar calmo.Perceba sua respiração, pois uma ótima maneira para controlar o medo é relaxando o seu corpo e a sua mente. A nossa mente é sede de nossas Emoções.

Deus está com Você
Busque ajuda e supere-se. E saiba que o Único que tem o controle de TUDO é Deus, deixe esse seu lado de querer controlar tudo e você viverá muito melhor. Deus cuida de ti e da tua família.     

Salmos 91.1 “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do Senhor: Ele é o meu refugio , aminha fortaleza , e nele confiarei”

Filipenses 4:6,7  “ Não estais ansiosos por coisa alguma, antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e suplica, com ação de graças.E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e os vossos pensamentos em Cristo Jesus”. A Paz do Senhor Jesus, beijo no Coração e até a Próxima!

 

valquiriaBeijo no coração minha linda!

Valquíria Salinas 


*A CPAD não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos publicados nesta seção, por serem de inteira responsabilidade de sua(s) autora(s).

As características de um psicopata

Escrito por Valquíria Salinas
As características de um psicopata

São bons de lábia com uma tremenda capacidade de manipular através da bajulação. Ou seja,...

Psicopata: Cuidado! Ele pode estar...

Escrito por Valquíria Salinas
Psicopata: Cuidado! Ele pode estar do seu lado

“O caráter perverso é maligno. Caminha de um lado para outro murmurando atrocidades, comun...

Síndrome de Burnout

Escrito por Valquíria Salinas
Síndrome de Burnout

A Síndrome é conhecida pelo esgotamento físico e mental, na qual ocorre uma servidão de in...

Pare de querer achar culpados

Escrito por Valquíria Salinas
Pare de querer achar culpados

Existem pessoas que têm o hábito de culpar alguém, devido às dificuldades em assumir as su...

Procrastinação - parte 2

Escrito por Valquíria Salinas
Procrastinação - parte 2      

Como mudar os hábitos da Procrastinação O primeiro passo é entender quais são os gatilhos...

Procrastinação - parte 1

Escrito por Valquíria Salinas
Procrastinação - parte 1

Você é ou conhece alguém que tem o hábito de adiar as coisas? Que diz: “amanhã eu faço min...

Gratidão - Parte 2

Escrito por Valquíria Salinas
Gratidão - Parte 2

A Ciência tem mostrado grandes benefícios para quem vive em gratidão. Segundo a psicoterap...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2022 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.